CISGA

Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Serra Gaúcha

Prefeitura

Voltar

Caxias do Sul

A história de Caxias do Sul começa quando a região era percorrida por tropeiros, ocupada por índios e chamada Campo dos Bugres. Esse cenário começou a mudar em 1875, quando chegaram os primeiros imigrantes italianos em busca de um lugar melhor para viver. Dois anos após o início da ocupação, o território recebeu a denominação de Colônia de Caxias.

Ao longo desse tempo, novas levas de imigrantes chegaram. Em 20 de junho de 1890 foi criado o Município, desmembrado de São Sebastião do Caí. O nome, Caxias do Sul, foi uma homenagem ao Duque de Caxias. Logo na primeira década do século XX, um marco para o desenvolvimento: no dia 1º de junho de 1910 chegava o primeiro trem, ligando a região à capital do Rio Grande do Sul. Nesse mesmo dia, Caxias foi elevada à categoria de cidade. A denominação atual – Caxias do Sul – viria por meio de decreto, no ano de 1944.

O novo meio de transporte marcou uma nova era para o desenvolvimento do município. Partindo do cultivo da uva e do vinho, chegou ao título de segundo maior polo metalmecânico do Brasil. As indústrias caxienses fabricam desde pequenas peças até ônibus e caminhões. Importância econômica que trouxe reflexos também para os setores de comércio e serviços, que se tornaram referência para toda a Serra Gaúcha.

Hoje, Caxias do Sul é fruto da garra e da determinação herdadas dos imigrantes com a contribuição de outras culturas que foram abraçadas pelo povo, como a tradição gaúcha. Uma cidade vibrante, feita pelos seus 483.377 moradores, conforme levantamento do IBGE de 2017, e que se consolida como o segundo maior município do Rio Grande do Sul em número de habitantes e em importância econômica.

Diferentes foram as denominações de Caxias do Sul, sejam elas oficiais ou aquelas, surgidas informalmente e mantidas pela tradição. A primeira denominação surge nos primórdios da imigração italiana. Em 1875, Caxias aparece nos documentos oficiais como Fundos de Nova Palmira. A denominação devia-se a sua localização, ao sul de Nova Petrópolis, Picada Feliz e Nova Palmira, antigas colônias alemãs.

Com a concentração inicial dos imigrantes recém chegados à Colônia na área que atualmente corresponde a Nova Milano (distrito do município de Farroupilha), Caxias ficou conhecida como Nova Milano ou Barracão. Esta última denominação devido à existência, no local, de uma edificação destinada ao abrigo provisório dos imigrantes.

Colônia Caxias e Campo dos Bugres

Em 11 de abril de 1877, por determinação da Inspetoria Especial de Terras e Colonização da Província do Rio Grande do Sul, a denominação oficial passava a ser Colônia Caxias. Esta alteração coincidia com a instalação da sede da Colônia, no núcleo correspondente à 5ª légua, composta pelos Travessões Santa Tereza e Solferino, hoje subscrevendo as regiões sul e centro da cidade de Caxias do Sul.

Apesar da denominação oficial, a Colônia Caxias era também conhecida por Campo dos Bugres, remetendo aos antigos habitantes da região: os índios caingangues. A denominação foi utilizada pelo diretor da Colônia de Feliz, Dr. Mabilde, em 1850, e por Antônio Machado de Souza que, em 1864, resolveu abrir uma estrada entre os municípios de São João de Montenegro e São Francisco de Paula.

De Sede Dante à Freguesia de Santa Tereza de Caxias

A partir de 1880, quando a colônia foi dividida em três diferentes sedes (Caxias, Nova Milano e Nova Trento), o povoado que abrigava a Diretoria da Colônia e a Comissão de Terras e Colonização passa a denominar-se Sede Dante ou Sede Principal. O nome Dante era também o nome da única praça existente na época: a Praça Dante, atualmente Praça Dante Alighieri. Aliás, a homenagem ao famoso poeta italiano parece ter sido, também naquela época, o motivo que levou à adoção do nome Sede Dante.

Em 12 de abril de 1884, com a anexação da Colônia Caxias ao município de São Sebastião do Caí como seu 5º distrito, o nome mudava para Freguesia de Santa Tereza de Caxias. A categoria de Freguesia designava a menor divisão administrativa das províncias e cidades portuguesas (e como tal foi adotada também no Brasil Imperial). Ao mesmo tempo, indicava que aquela localidade sediava uma paróquia. De fato, Caxias, naquela época, desligava-se da Paróquia de São João do Hortêncio de Feliz e sediava a sua própria, a Paróquia de Santa Tereza.

Os símbolos oficiais de Caxias do Sul são representados pelas Armas, Bandeira, Selo e Cores Municipais, conforme Lei nº 2.170 de 24 de abril de 1974.

Eles têm as seguintes características:

Das Armas

O escudo será constituído em campo de jalde (representando os trigais, cultura originária da região), com filete de púrpura como bordadura; chefe estreito bastilhado de sinople (representando a indústria do município); dois bastões em pala de sinople à dextra, abaixo do chefe (representando os pinheiros nativos da região) e oito lisonjas, dispostas em forma de cacho (duas, três, duas e uma lisonja) de púrpura à sinistra, abaixo do chefe (significando os parreirais do município). Terá o escudo, em cima, coroa mural de oito torres, estando cinco à vista, de argente, ladeada por folhas de acanto e de videira com frutos da própria cor; estará guardado por dois leões, um à dextra, olhando para a dexta, outro à sinistra, olhando para a sinistra, ambos apoiando o escudo com as patas dianteiras, apoiados em folhas de acanto com as patas trazeiras, e da própria cor, como símbolo do brasão originário do Vêneto, pertencente à Província de Veneza; terá, em baixo, listel em blou, entremeando as folhas de acanto, de própria cor, em que estão apoiados os leões e onde, em púrpura, se lê: “Caxias do Sul”, no centro; “1875” à dextra e “1890” à sinistra (que são as datas do início da colonização italiana na região e da emancipação do município, respectivamente);

Da Bandeira

A Bandeira Municipal será toda branca, tendo, no centro, as Armas Municipais;

Do Selo

O Selo Municipal circundará as Armas Municipais com uma circunferência em relevo;

Das Cores

As Cores Municipais, constantes também do escudo, serão o verde (representando o pinheiro e a floresta), o amarelo (simbolizando o trigo) e o púrpura (significando a uva).

Prefeitura SIC NFS-e

(54) 3462.2871

cisga@cisga.com.br

Rua Jacob Ely, 498, sala 05 – Centro

Garibaldi/RS - CEP: 95720-000

Compartilhe este site